Pai de João Miguel teria gasto cerca de R$ 600 mil e ao ser preso demonstrou arrependimento, diz a polícia

Em entrevista coletiva nesta terça-feira, 23/07, em Conselheiro Lafaiete, a Polícia Civil deu detalhes sobre a prisão de Matheus Henrique Leroy Alves, 37 anos, pai do garotinho João Miguel. Ele foi preso na segunda-feira, 22/07, em Salvador, na Bahia, onde teria usado parte do dinheiro arrecadado na campanha para tratamento do filho contra a AME (Atrofia Muscular Espinhal).

Dr. Daniel Gomes, delegado responsável pelo caso.

De acordo com o delegado responsável pelo caso, Dr. Daniel Gomes, Mateus foi preso num hotel de luxo, de frente para a praia. O custo mensal do quarto é R$ 2 mil e Matheus teria feito o pagamento de dois meses com antecedência. No local, a polícia teria encontrado três relógios, uma porção de maconha e R$ 3 mil em espécie.

A campanha arrecadou cerca de R$ 1 milhão e 17 mil. A Polícia Civil recebeu informações de que Matheus havia viajado a passeio com o valor que seria para cuidar da criança. De acordo com as investigações, Matheus teria gasto mais de mais de R$ 600 mil. Ele ainda chegou a sacar em um só dia, R$ 100 mil em espécie.

O delegado regional de Conselheiro Lafaiete, Dr. João Marcos de Almeida, o Chefe do 13° Departamento, Delegado-Geral Carlos Capristrano, e Dr. Daniel Gomes.

A mãe de João Miguel, Karine foi quem fez a denúncia a polícia após desconfiar da atitude do marido que estava se afastando da família. Desde o inicio do mês, Matheus não dava mais notícias. A polícia informou ainda que há quatro contas bancárias para o recebimento das doações de campanha, sendo duas administradas pela mãe e duas pelo pai de João Miguel. Mateus teria descoberto as senhas das contas administrada pela esposa e teria efetuado vários saques volumosos e transferências. Agora a Polícia Civil investiga ainda as operações realizadas em nome de Matheus e de outras pessoas que ainda não se a relação delas com ele.

Matheus foi preso em Salvador-BA.

Dr. Daniel Gomes disse ainda que Matheus demonstrou arrependimento ao ser preso, mas disse que estaria sendo vítima de extorsão e que parte do dinheiro foi entregue a criminosos, tendo fugido por estar com medo, porém a versão dada por ele não convenceu a polícia.

Matheus ficará a disposição da justiça em Conselheiro Lafaiete e poderá responder pelos crimes de estelionato, abandono material e por ter deixado a esposa e os dois filhos sem dar notícias. O delegado, Dr. Daniel Gomes deixou claro que não há nenhuma participação da esposa de Matheus nos atos cometidos por ele.

A ação para a prisão de Matheus contou com a participação das Polícias Civil e Militar, além do Ministério Público e órgãos de segurança da Bahia.

Campanha não pode parar

Apesar de todo o ocorrido, o chefe do 13° Departamento, Delegado Geral, Carlos Capristrano fez um apelo para que campanha em prol do garotinho João Miguel continue. “Nós não poderíamos contar com essa atitude equivocada do pai. O João Miguel vai continuar precisando de ajuda e outras pessoas no futuro também”, disse o delegado.